Discipulado

Estamos dando muita ênfase no discipulado esse ano e confesso o meu incômodo/temor com esse direcionamento. Essa palavra subentende imitação, ser como o mestre é. Seria mais fácil mostrar o que Jesus ensinou, mostrar as doutrinas e o que a Bíblia tem a dizer sobre vida cristã, fazer os membros da igreja todos teólogos, mas não seriam discípulos.
O apóstolo Paulo exorta várias vezes em seus escritos para que sejamos imitadores de Cristo e, também, várias vezes para que sejamos seus imitadores, imitadores do apóstolo Paulo. É mais fácil eu falar para que as pessoas sejam imitadoras de Cristo, que amem como Cristo amou, que perdoem como Cristo perdoou, que se doem como Cristo se doou. Mas quando eu convivo com pessoas e digo a elas que elas foram predestinadas para serem muito parecidas com Jesus e que elas deveriam ver essa semelhança em mim, pois eu deveria ser parecido com Jesus. Então amem como Cristo amou e vejam como eu faço, perdoem como Cristo perdoou e vejam como eu perdoo, sejam como Cristo era misericordioso e despojado de seus bem em pró dos necessitados e vejam na prática isso em mim.
Os discípulos não devem somente saber o que o mestre sabe, mas sim ser o que o mestre é.
As pessoas vão lembrar de minhas ações, mas minha pregação será esquecida na segunda feira. Por isso esse tema me estremece, Deus tenha misericórdia de mim me dê vida para ser seu discípulo e discipulador.
Será que eu gostaria que meus discípulos fossem como eu sou, assim como eu sou a imagem de Cristo?
Palavras do Apóstolo Paulo: “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores” (1Coríntios 4.16).