Discipulado de Mulheres

Estas são algumas das mulheres que estão a frente do discipulado feminino IBGV

Da esquerda para a direita em pé: Dora Bomilcar, Roseli Leite e Cristhine Hahn. Da esquerda para a direita em sentadas: Odete Pereira, Ivone Milani, Georgia Pischel, Vivia Quispe, Erica Coelho, Paula Patrícia e Roberta Carvalho.

discipulado

  •  Você se sente sozinha na sua caminhada cristã?
  • Você sabe ouvir os pensamentos profundos e dificuldades imensas de outras pessoas, mas não tem com quem abrir seu próprio coração?
  • Você deixa para amanhã o mais importante?
  • Você se preocupa muito no cuidado de outras pessoas – marido, filhos, membros da igreja – mas nunca recebe apoio?
  • Você vive um relacionamento íntimo como filha do Pai amoroso?
  • Você conhece uma outra mulher que precisa de apoio na sua vida relacional e espiritual?

Estamos mais que convencidas que é possível formar grupos pequenos de mulheres em discipulado que possam funcionar como um pastoreio mútuo. Sei disso porque na minha vida esses grupos tem sido um grande encorajamento para mim. Seguem quatro elementos importantes a desenvolver nestes grupos:

Transparência

Charles Swindoll escreveu um livro, “Vivendo sem máscaras”, que explica como cultivar relacionamentos abertos. É muito fácil tentar se proteger se escondendo atrás de uma imagem “perfeita”, mas o fingimento é irmão da mentira. A transparência se desenvolve por meio de uma comunicação sincera e verdadeira. Podemos arriscar como o apóstolo Paulo nas suas cartas, compartilhando nossas fraquezas, necessidades e as tentações às quais somos mais vulneráveis. E podemos encorajar outras com as vitórias ganhas em completa dependência de Deus.

Se seguirmos a verdade em amor, cresceremos em tudo naquele que é a cabeça (Efésios 4:15). Ambas as qualidades, a verdade e o amor, são essências para desenvolver uma transparência transformadora no grupo pequeno. A comunicação é uma troca de ideias. Cada uma deve expressar como se sente, ou opinar sem sofrer críticas das outras. Ao mesmo tempo “tirar a máscara” não é uma abertura sem medida de todos nossos sentimentos e pensamentos com qualquer ouvinte. Não é uma mostra de transparência saudável falar o tempo todo em grupo pequeno. Também a pessoa tímida não tira sua máscara se não abre sua boca.

Prestação de contas

Quando Deus pede uma mudança na sua vida você costuma pedir oração e apoio de amigas? E quando alguém compartilha uma necessidade com você, você lembra de orar e perguntar sobre a resposta que Deus deu? Você cumpre sua palavra? Para desenvolver prestação de contas num grupo todas precisam prestar atenção aos pedidos de oração, orar esperando respostas, e conversar sobre as respostas que Deus deu.
A prestação de contas dentro do grupo pequeno serve como um teste de autocontrole e fidelidade. É uma grande ajuda no processo de transformação compartilhar uma aplicação pessoal ao estudo bíblico. Estabelecer a prestação de contas como prioridade do grupo encoraja obediência e crescimento espiritual.

Confiança

Quando queremos apoiar o crescimento espiritual e amizade transparente com outras mulheres no grupo pequeno é essencial que o relacionamento seja de confidência. Muita mulher no discipulado já foi ferida por ter divulgado algum problema com uma pessoa que repassou o segredo para outras pessoas. É um risco confessar pecado, confusão e desânimo. É necessário desenvolver um pacto no grupo, estabelecendo sigilo completo de tudo o que for dito entre as participantes.

Compromisso

O compromisso firme é essencial para que as mulheres no grupo pequeno possam desenvolver o pastoreio mútuo. Os encontros precisam ser prioridade na agenda dos seus membros. A confidência e a confiança são resultados de um compromisso firme. Se houver troca de membros e ausências frequentes será impossível progredir na prestação de contas porque as mulheres que não estiveram presentes não terão noção das ansiedades, pecados, fraquezas e necessidades que foram relatados nos meses anteriores. Sem um compromisso firme o crescimento na área de transparência será impedido.

São 11 grupos com diferentes discipuladoras e horários.

Cristhine Hahn – terça a tarde
Dora Bomilcar – domingo de manhã
Erica Coelho – sexta a noite
Flora Paschoal – a definir
Georgia Pischel – terça a noite
Ivone Milani – domingo
Kika Andrade – sábado de manhã
Paula Patrícia – sábado a tarde
Roberta Carvalho – sábado a tarde
Roseli Leite – sexta a noite
Vivia Quispe e Odete Pereira – sábado a tarde

Neste ano estaremos estudando o livro “Como ter o coração de Maria no mundo de Marta“. É necessário que você tenha o livro. Ele está a venda na livraria da igreja.

Compre seu livro e escolha seu grupo.

Esperamos você!