Quando a ficha cai

Bem aventurados os que choram, porque serão consolados. Mateus 5:4 Chega a hora em que não temos mais desculpas esfarrapadas. Não podemos continuar culpando pais, patrões, cônjuges, a sociedade injusta. O Espírito nos convence do nosso pecado. A responsabilidade é nossa, do nosso coração pecaminoso, da nossa cobiça (Tiago 1:14). E, quando esta verdade penetra em nosso coração, quando nos damos conta que somos nós que pecamos contra Deus, quando a ficha cai, o que podemos fazer?
A resposta é simples: choramos.
Choramos por entristecermos Àquele que não hesitou em oferecer o seu próprio Filho, Jesus Cristo, à morte na cruz, como expiação e propiciação pelos nossos pecados, para que não caísse sobre nós Sua ira justa, para que passássemos da morte para a vida eterna. Choramos por termos, novamente, falhado em sermos luz e sal para o mundo, por não refletirmos o Jesus Cristo que habita em nós.
E somos consolados. Não nos consolamos a nós mesmos; somos consolados pelo mesmo Deus que ofendemos! É Ele quem nos diz que, ao confessarmos – e nos arrependermos – nossos pecados, somos perdoados, uma vez que temos como advogado de defesa o próprio Filho que por nós morreu. Podemos prosseguir em nossa caminhada com Cristo, sem termos que arrastar o peso de uma culpa não perdoada.
Somos bem aventurados por chorarmos. É assim o Reino de Deus.