Saudades

“ Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”.1Cor.2:9

Saudade: palavra que nos remete ao passado. Temos saudades de pessoas que não estão mais presentes na nossa vida, de momentos bons que experimentamos, de lugares que nos encantaram, de músicas que ouvíamos.

Pode parecer meio estranho, mas aqueles que vivem em Cristo têm saudades de algo que está por vir. Temos saudades de um lugar absolutamente lindo e perfeito, onde não existe o mal, não sentimos dor, não mais contemplamos a injustiça, não sentimos dor, não ficamos doentes, onde somos dotados de um corpo imortal, e onde vivemos, como verdadeiros adoradores, eternamente na presença do nosso Deus.

Uso o termo “saudades” para descrever o sentimento que nos acompanha, segundo Pedro, em nossa jornada atual na qualidade de peregrinos e forasteiros nesta terra. Persiste, em nossa mente, que este não é nosso país real, que já fomos, em nosso antepassado Adão, cidadãos do Éden, sem carregar em nosso corpo o pecado que nos fatiga até a morte. Morte esta que foi derrotada na cruz, de tal forma que estamos livres do pavor da morte, que nos sujeitava por toda a vida (Hebreus 2:15). Esta saudade, firmemente embasada nas promessas fiéis do nosso Deus, nos liberta para uma vida de amor para com o próximo, para a generosidade, o evangelismo e a justiça. Saudade que nos impulsiona para a felicidade de vivermos em obediência a Deus, que é o segredo da vida abundante.

Thomas Hahn